sábado, 19 de janeiro de 2013

Algumas dicas de como combater, eliminar e prevenir a umidade


Com chuvas frequentes, a umidade é uma das piores inimigas para uma casa. Não só pode provocar diversos estragos a uma habitação, como pode ainda reduzir o isolamento e o conforto da divisão afetada. Como não bastasse, desencadeia o desenvolvimento das bactérias do bolor, tão prejudicial à saúde. Como diagnosticar, prevenir e acabar com a umidade nas divisões de sua casa?




Faça um diagnóstico para saber a origem da umidade:
A existência de umidade pode ser desencadeada por vários fatores. Esta também pode apresentar aspectos diferentes ou afetar diferentes zonas. Aprenda a diferenciar os diferentes tipos de umidade, para saber a forma mais eficaz de  combater:

Umidade pela chuva: 

  Apresentação:
Este tipo de umidade apresenta-se claramente delimitado nas paredes interiores. Nas paredes exteriores apresenta-se por eflorescências brancas, tijolos com rachas, fissuras, juntas estragadas, etc.


§  Áreas afectadas:
Estragos na parte exterior ou interior. Infiltração de chuvas, principalmente no lado mais exposto ao vento.


§  Aparecimento:
O seu aparecimento é mais intenso durante ou depois de chuvadas fortes ou contínuas.


§  Descrição:
Nas construções atuais, as paredes duplas são muito comuns. As águas das chuvas podem infiltrar-se na parede exterior, direcionando-se até a uma membrana impermeável, situada na parte inferior do espaço entre as duas paredes e devolvida ao exterior pelas juntas verticais, deixadas em aberto, na parede de fora. Assim, a parede interior fica normalmente protegida da umidade. Contudo, durante a construção, os dispositivos de fixação das duas paredes podem ser mal instalados, fazendo com que a umidade consiga alcançar a parede interior, manifestando-se por manchas bem delimitadas no seu revestimento. Nas construções mais antigas, as paredes são maciças. Se estas tiverem alguma porosidade, poderão ser menos impermeáveis às chuvas. Pode acontecer ainda que, em paredes exteriores com fissuras, se dê o aparecimento de musgo. Há que tomar cuidado também com os telhados, ode algerozes defeituosos permitam que as águas das chuvas possam infiltrar-se pela alvenaria. 


§  Diagnóstico:
Chuvas fortes podem fazer aparecer manchas de umidade ou infiltrações. As paredes exteriores mais expostas são as mais afetadas nestes casos. Depois de um degelo, por exemplo, podem surgir manchas de umidade, assinalando um telhado danificado, uma fissura numa parede ou um algeroz furado.


§  Solução:
Primeiro, comece pelo telhado, verificando se todas as telhas estão em bom estado, se existem buracos pelo algeroz, se toda a estrutura que o sustenta está em bom estado e se não existem juntas partidas. Verifique ainda fissuras nas fachadas, reparando-os caso existam. 
Se o problema estiver nas paredes mais expostas, proteja a parede das umidades, pintando-a e isolando-a com argamassa especial com propriedades hidrófugas, ou então, faça um revestimento com pedra, ou ainda poderá isolá-la com um hidrófugo transparente (verifique o bom estado da superfície antes de instalar este tipo de produto).
Antes de realizar qualquer tipo de operação, retire todo o tipo de musgos ou bolor, com água e lixívia, por exemplo. Passe uma escova ou máquina de alta pressão para os remover por completo. Tenha em atenção se usar a máquina de alta pressão, tapando as fendas maiores com argamassa ou silicone e reparando as juntas que estiverem em mau estado.
Se tiver chovido, deverá esperar no mínimo 7 dias para aplicar qualquer produto. No caso de ter limpo a parede com a máquina de alta pressão, o tempo de espera deverá ser maior, tomando em atenção para que não exista nenhum vestígio de humidade.
Para aplicar o produto hidrófugo que falamos anteriormente, deverá pulverizá-lo ou aplicá-lo com uma trincha. Aplique com abundância, até se aperceber que a parede já não absorve mais líquido, ficando a parede a escorrer líquido, de preferência. Poderá retirar resíduos deste produto, de vidros ou azulejos, etc, com a ajuda de um pouco de aguarrás.
Poderá ainda optar, em vez do produto hidrófugo, por uma de mão diluída de primário branco para fachadas (que deixe a parede respirar) e outra de mão não diluída.

Umidade originada por fugas na canalização:

§   Apresentação: A umidade causada por fugas e defeitos na canalização, apresenta-se por círculos úmidos tipo auréola ou por bolores.

§  Áreas afetadas: Perto de canos ou de aparelhos sanitários.

§  Aparecimento: Surge principalmente em áreas que se encontrem perto de aparelhos sanitários que sejam usados mais vezes, como banheiras, por exemplo.

§  Descrição:
Este tipo de umidade pode ser facilmente detectado quando as canalizações estão visíveis. O problema maior é quando estas se encontram por dentro das paredes, como na maioria das habitações. Além das umidades provenientes das canalizações poder se manifestar a uma distância considerável da fuga, tem ainda o inconveniente de ser complicado resolver o problema.


Diagnóstico:
Podemos detectar uma fuga numa canalização vigiando por exemplo o contador da água, de noite e de manhã, afim de verificar se houve gastos de água (convém certificar-se que nenhum aparelho sanitário está com fugas). Se verificarmos que a umidade tende a aparecer ou reaparecer quando a utilização de determinado aparelho sanitário, podemos constatar que o problema vem desse mesmo aparelho.


§  Como solucionar:
Depois de localizarmos a fuga, terá que ser realizado um trabalho a nível de canalizações. Recomendamos que contrate um técnico especializado para resolver o problema, que não é de fácil resolução.


§  Umidade na construção:

Numa casa nova, alguns dos materiais usados contêm alguma umidade, pelo que será conveniente aguardar no mínimo 1 ano até que realize obras na mesma. Aconselhamos que deixe o estuque a descoberto durante este tempo, evitando pintá-lo ou cobri-lo com papel de parede.
Quando existe bastante umidade, onde se formem bolores, aconselha-se o uso de aparelhos desumidificadores, muito eficazes neste tipo de situação. Em locais pequenos, como armários, roupeiros, ou pequenas divisões, o uso de absorventes de umidade (reservatórios com cristais de cloreto de cálcio, que absorvem a umidade).

§  Umidades em caves, arrecadações ou garagens:  
A umidade pode apresentar-se sob a forma de paredes molhadas, podendo originar manchas de salitre. As causas poderão ser várias, como fissuras ou corrosão das armações do betão, ou ainda a pressão da água ser excessiva para a resistência das paredes.Para solucionar este problema poderá escavar o solo, junto à parede com problemas, até ao nível das fundações. Coloque um resguardo estanque na parede, com argamassa betuminosa, por exemplo.
Se o lençol de água for acima da superfície da parte inferior da parede e tiver acesso à parede exterior, é conveniente colocar tubos para drenar a água, ligados à rede de esgotos.
Se não for possível o tratamento pelo exterior (o tipo de tratamento mais eficaz) poderá instalar um reboco impermeável. Limpe convenientemente a parede, com água e amoníaco, por exemplo. Retire todas as zonas soltas da parede, com uma espátula ou escova. De modo a se tornar mais aderente, pulverize a parede com água e aplique argamassa anti umidade, ou hidrófuga. Primeiramente comece pelas juntas, fendas e fissuras. Após ter secado esta primeira aplicação, passe outra camada, até ficar com uma altura de mais ou menos 1 centímetro.´
Espero que este artigo tenha sido útil não só para prevenir mas também para combater e acabar com a da sua casa.
Fonte: Ricardo Lérias

Siga nossa página no facebook: http://www.facebook.com/baguncaorganizadalondrina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...