sábado, 30 de março de 2013

Despesas: Como manter a ordem nos gastos



Equilibrar receitas e despesas é uma arte. Para enfrentar essa parada, faça todo mês um cauteloso quadro geral de receitas e despesas, utilizando o famoso jogo de cintura para escrever em azul a linha mais importante desta conta, a do total geral.
Deixe a preguiça de lado, sem um orçamento bem feito, as chances de sucesso nessa empreitada são praticamente nulas. Organizar suas contas, não chega a ser uma tarefa tão difícil.
Feito o primeiro orçamento, os seguintes ficam fáceis, pois as modificações são mínimas, então mãos à obra.
Comece separando os custos fixos dos variáveis:
Custos fixos: incluem gastos com moradia; aluguel, condomínio, IPTU, prestação da casa própria, alimentação tirando uma média mensal, gás, luz, telefone, água, transporte, educação, assistência médica, empregada, seguros de automóveis, residência, lazer fixo. As despesas anuais como  13º salário à empregada doméstica, IPVA, matrícula de escolas etc. podem ter seu valor dividido por doze e ser incluídos nos gastos.
Custos variáveis: também podem ser previstos, alguns itens podem ser chamadas compras programáveis, onde se incluem presentes, troca de eletrodomésticos, viagens, manutenção do carro, tudo que permite um certo planejamento. Gastos com lazer, roupas, cabeleireiro, médicos, consertos grandes em casa são realmente flutuantes. Não se esqueça de nada, pois as pequenas despesas, quando somadas, podem ter um peso maior do que você imagina.
Relacionado os gastos, faz se também a soma dos ganhos, que registrará a entrada de dinheiro salários, rendimentos, aluguéis). Não esqueça de incluir, nos meses correspondentes, 13º salário, bônus, gratificações, o ideal é que haja sempre um saldo positivo quando se deduzem os gastos dos ganhos.
Com o que sobra a cada mês é que devemos contar para nossas despesas maiores ou investimentos. Não se esqueça da poupança, que pode figurar como custo fixo ou variável.
Com alguma sobra no orçamento, fica difícil deixar de sonhar e pior, deixar de consumir. É importante que você aprenda a se controlar, evite a qualquer custo estourar seu orçamento mais que 10%, ou o rombo vai aumentando e ficará cada vez mais difícil cobrir o déficit.
Apelar para o cheque especial ou adiar o pagamento do cartão de crédito, só em último caso.
Os juros cobrados nos dois são altíssimos. Cuidado com os créditos e as promessas de cheque sem limites. Procure negociar com seus credores.

Fonte: Bagunça Organizada

Siga nossa página no facebook: http://www.facebook.com/baguncaorganizadalondrina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...