domingo, 9 de agosto de 2015

Como se Livrar de Objetos Sentimentais

1) Reflita sobre qual tipo de objeto deixa você sentimental. Nem todos se sentirão dessa forma pelos mesmos motivos ou terão as mesmas razões para manter a bagunça. Porém, existem algumas razões relativamente padrão que trazem emoções:
  • Alguém com quem você se importa/importou muito deu esse(a) item(ns) a você.
  • Seus filhos fizeram ou trouxeram para a casa.
  • Seus entes queridos compraram ou trouxeram para a casa.
  • Lembra você de memórias incríveis de uma época especial que passou há muito tempo.
  • Você fez ou comprou o item quando era mais jovem/estava passando por uma crise/estava passando por uma transição ou epifania etc., ou você o conseguiu quando estava viajando no exterior.
2) Reconheça de onde vem o valor do objeto sentimental. Não é o próprio objeto que está criando valor e fazendo você se sentir sentimental. É você quem está fazendo isso, adicionando valor ao objeto ao anexar sua memória a ele. Lembre que, independentemente de quanta mágica ou especialismo você tiver transmitido ao objeto, ele não é a pessoa ou o momento – é simplesmente um objeto, e é um objeto que está potencialmente prendendo você. É a sua maneira de trazer aquela pessoa ou momento ao presente e esperar que a mágica ainda exista agora. Porém, aquele momento é umamemória e os sentimentos, emoções e interações presentes quando o objeto entrou na sua vida já passaram. Você tem direito a essa memória, mas permitir que tais objetos se tornem um peso na sua vida presente não é saudável.
  • Apego emocional é a maior razão por que as pessoas não são capazes de se livrar da bagunça. E ainda é sufocante e imobilizante guardar "memórias" na casa, o equivalente a hardware (seu cérebro sendo o software). Isso segue você a todo lugar, confunde e previne que você faça coisas que preferiria estar fazendo porque está ali, no caminho, escondendo as ferramentas que você realmente precisa estar usando para aproveitar sua vida!
3) Separe o sentimental do prático e do libertador. Objetos sentimentais podem logo logo afogar você se você não criar limites entre eles e o restante da sua vida. Permitir que objetos sentimentais preencham sua vida logo se torna uma maneira de inchar o presente com o passado, de recriar memórias ao invés de avançar, e até mesmo de se prender a você mesmo ou a outras pessoas que desde então mudaram consideravelmente (como por exemplo, crianças que cresceram, você mesmo ter entrado em outra fase de sua vida etc.). Por outro lado, coisas práticas e liberadoras na sua vida são as ferramentas com as quais você torna sua vida no presente melhor, mais fácil e mais aproveitável. Coisas práticas têm seus lugares e não são bagunça, não estão enfiadas em caixas ou no fundo de armários; ao invés disso, então em lugares claros, sendo usadas regularmente. Coisas liberadoras são os itens diários que permitem que você organize suas tarefas, seu lazer e sua vida. E você também ganha aquele elemento maravilhoso conhecido como "espaço" – ter espaço é ter libertação da bagunça.
  • Existe algo chamado "muita coisa pra lembrar", e você não pode se lembrar de tudo, então permita a si mesmo um pouco de esquecimento e aprenda a apreciar a liberdade disso.
4) Considere as permissões de espaço. Se você tiver espaço para bastante coisas sentimentais, talvez possa mantê-las. Porém, mesmo assim isso é insensato, porque você ainda será confrontado pelas coisas até mesmo em uma casa grande. Um dia, algum dia, você terá que ir naquele armazém e checar tudo e perguntar a si mesmo por que você tem todas aquelas coisas... O problema para a maioria das pessoas é que ter muita coisa faz com que elas tendam a expandir o espaço, ao invés de aproveitar ao máximo o espaço que têm. Quando começam a sentir que não têm mais espaço, pensam em lugares maiores ao invés de reduções. E isso prejudica a carteira, a psique, os recursos do planeta e o sentimento de bem-estar. Se o seu espaço estiver apertado, precisa lidar com a bagunça sentimental da forma mais precisa, porque ela é a mais difícil de se desapegar e a mais responsável por impedir que você viva uma vida plena no momento.
  • Você está bem encrencado se estiver alugando um espaço para cobrir todas as coisas que tem. Nenhuma delas deve valer a pena alugar um espaço!
  • Imagine as pessoas mexendo nos seus objetos sentimentais após sua morte. Você se sente bem a respeito do que estão encontrando ou imensamente envergonhado?
5) Desenvolva uma série de testes para seus objetos sentimentais ao invés de procurar manter todos. Pode ser bem difícil uma pessoa sentimental se desapegar de objetos sentimentais; isso pode fazê-la sentir que uma grande parte de quem ela era/é e todas as coisas que a fazem ser ela estão indo embora junto com o objeto. Para facilitar a transição entre bagunça e claridade, permita a si mesmo uma escala de objetos sentimentais ou uma série de perguntas teste. Mantenha os objetos apenas se eles passarem, livre-se deles se falharem. Considere pontos decisivos tais como:
  • Se eu não olhei o objeto em um ano, ele teve sua vez.
  • Se eu tenho muita vergonha de mostrá-lo, não é um objeto que vale a pena manter.
  • Se eu tenho tantos objetos desse tipo que as memórias não estão mais claras, me livrarei de todos.
  • Se eu ainda sinto raiva, ressentimento, irritação ou outras coisas negativas pela pessoa representada por esse objeto, é hora de livrar-me dele pelo bem da minha saúde mental.
  • Se os objetos sentimentais consistem de vários itens de um membro da família que há muito tempo faleceu e eu não estou os usando, nem os exibindo e não os aproveitando, mas realmente apenas os mantendo, então provavelmente é hora de compartilhar os itens com mais pessoas da família além de apenas eu (nesse caso, muitas vezes haverá novos membros da família velhos o suficiente para cuidar das heranças após você tê-las mantido por tempo suficiente, então seja gentil e passe alguns adiante).
  • Se eu odeio o objeto, mas o impregnei com poderes redentores ou o tornei um lembrete para me tornar uma pessoa melhor, a validade dele acabou. Eu sou uma pessoa melhor por tê-lo mantido por tanto tempo e ter feito a grande decisão de descartá-lo.
  • Se estou preparado para cuidar dele, brincar com ele, exibi-lo, usá-lo, vesti-lo, lê-lo ou seja qual for a ação apropriada, então posso mantê-lo. Por agora.
6) Reduza as bugigangas, cartas, recortes etc. mantidos ou empilhados em caixas e outros meios de armazenamento. Caixas sentimentais se reproduzem ao redor de pessoas sentimentais. E como é fácil enfiar uma caixa de sapato cheia no fundo de uma estante ou armário e esquecer que ela está lá... Ela está ocupando espaço e não fazendo nada por você, principalmente quando você encontra outras 15 dessas "caixas especiais" bagunçadas pela casa. Seja honesto consigo mesmo: quantos desses cartões de Natal, cartas de amor, páginas de receitas, panfletos de viagem, canhotos de ingressos, desenhos de crianças etc. você realmente vai olhar de novo? Comece a reduzir as muitas caixas especiais ou pilhas a apenas uma. Isso levará tempo, mas você tem mais uma chance de viajar pela estrada da memória enquanto separa e descarta.
  • Seja bastante seletivo. Coloque juntas as coisas que você quer manter em uma caixa, e quando ela estiver cheia, ou remova algo ou não adicione mais nada. No caso de lembranças de crianças, isso pode ser um sinal de que elas passaram de uma etapa de crescimento para outra, e isso significa uma mudança mental para você também. É a mesma coisa para suas próprias transições de etapa na vida; elas são naturais, saudáveis e não lhe faz nenhum bem ficar se prendendo a quem você uma vez foi.
7) Use o mundo digital para liberar o espaço físico para você. Câmeras digitais, memória do computador, álbuns online e armazenamento em nuvem são seus aliados na jornada para remover o acúmulo de objetos sentimentais do seu mundo. Já que as memórias são uma razão particularmente grande por se sentir sentimental, fotografias podem se tornar uma forma de você manter a memória e descartar o objeto. Lembre-se que a memória está dentro de você, e não no próprio objeto, e trate as fotos como "lembranças sem dimensão espacial". Tire uma foto de cada objeto antes de descartá-lo ou doá-lo (tente doar ou reciclar sempre que possível). Guarde suas fotos em seu computador, em nuvem, em um site de fotos ou onde for mais fácil e divertido para você rever quando sentir vontade de relembrar. A beleza desse processo é que cada "lembrete" está em um lugar fácil de encontrar, não está ocupando espaço e não será perdido. Realmente funciona!
  • Se torne um scrapbooker digital. Você pode manter o que quiser e brincar com sua criatividade ao máximo, e nada disso ocupará espaço em seu mundo não virtual!
8) Estabeleça limites. No futuro (após sua primeira experiência de organização sentimental), use limites para impedir que você adicione a uma pilha, gaveta ou espaço de objetos sentimentais. Há diversas maneiras como você pode fazer isso, incluindo:
  • Perguntar a si mesmo toda vez: "É necessário, é só por causa da minha memória, irá fazer a diferença ou uma bagunça em minha vida?".
  • Usar recipientes para qualquer coisa que será guardada. Se não for para o recipiente porque não é igual às outras coisas lá dentro ou porque ele está cheio, use essa situação como um motivo para parar e perguntar a si mesmo se realmente é necessário manter tudo.
  • Lembrar a si mesmo de que você não precisa de mais espaço. O que você precisa é de mais tempo, mais relaxamento e menos impacto pelas coisas que prendem você.
  • Desenvolva uma mentalidade de organizar, e não acumular. Ambos são hábitos e você pode largar o mau hábito e se libertar com o bom hábito através de pura prática e conversas consigo mesmo.
Fonte: http://pt.wikihow.com

Curta nossa página no Facebook: Bagunça Organizada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...